28.7.08

Conhecimento vs. Competência

Pergunta polêmica: Será que a gestão do conhecimento é realmente possível? E essa gestão na verdade não seria uma gestão de competências?
Primeiro ponto
Recentemente li um texto da Rose Longo no livro Administração de unidades de informação, imagem ao lado, onde a discussão sobre Gestão do Conhecimento se aprofunda ao ponto de nos perguntarmos: O conhecimento explícito não é informação?
A partir deste pensamento, não realizamos então a gestão da informação e não a gestão do conhecimento?
Segundo ponto
Se o conhecimento é inerente ao ser humano, a gestão do conhecimento não existe mas sim a gestão de competências pois segundo Durand a competência se articula em torno de três dimensões: conhecimento, práticas e atitudes.
Discussão
Afinal, qual a relação entre conhecimento e competência?
Se a formação de um e de outro são extremamente relacionadas será que a gestão do conhecimento esteja na verdade sendo confundida com gestão da informação?

Referência:
LONGO, Rose Mary Juliano. Gestão do conhecimento e unidades de informação. In: VERGUEIRO, Waldomiro; MIRANDA, Angélica C. D. (Orgs.) Administração de unidades de informação. Rio Grande, RS : FURG, 2007. p.35-49.

3 comentários:

Marcelo Yamada disse...

Olá, Katyusha. Encontrei seu blog por indicação do Google, em que assino o termo "gestão do conhecimento".
Acredito que o principal argumento que leva à conclusão de que GC é na verdade GI é "o conhecimento é inerente ao ser humano".
Sugiro não interpretarmos essa afirmação tão literalmente.
Assim como uma foto de um bolo não é um bolo de verdade, embora apontemos para a tal foto e digamos "é um bolo", temos que dar um nome a todo o conjunto de "coisas" que permitem às organizações produzir o que produzem. Pessoalmente aceito bem chamar essas "coisas" de conhecimento corporativo.
Estou me referindo não só à competência das pessoas, mas também aos processos da empresa, aos seus procedimentos, aos seus equipamentos automatizados, ao seu software, e assim por diante.
Pensar dessa forma não torna o termo "gerenciar conhecimento" único e aceitável?
Um abraço.

João de Freitas Neto disse...

Olá Katyusha,

dou uma passada por aqui desde comecinho do ano... e fico feliz em ver que está mais ativa a postar por aqui! :D

Acho que assim como falam de "Usabilidade vs. Estética", "Conhecimento vs. competência" é uma verdadeira falta de dicotomia.

Sou daqueles que junto todos conceitos para realizar um trabalho mais completo... creio que para atingir resultados mais altos temos que nos abranger aos mais conhecimentos possíveis e unificá-los no momento certo.

Pelo visto você também pensa, pelo menos(risos), por aí não é?

Olha, niver no dia 1 de agosto mesmo é? se for.. meus parabéns atrasado! hahaha

Abraço

Katyusha disse...

Agradeço as colaborações. Acho que são fundamentais para que possamos discutir, crescer, aumentar nosso conhecimento.
Mas ainda tenho dúvidas, Marcelo, quanto à questão. Tenho dúvidas principalmente porque esses conceitos são contextuais e situacionais, não são generalizáveis.
Um texto muito interessante é o do Damian Ruth sobre a questão sistêmica na definição do conceito de competência. É algo realmente a se pensar.
É mais ou menos como disse o João, são coisas muito relacionadas. Mas que a meu ver precisam ser discutidas, afinal são essas discussões que podem propiciar uma base mais forte para a área.
Abs.