20.1.06

Organizar e gerir a informação é fundamental

Hoje eu estava revendo a apresentação que o Morville apresentou no workshop "O Uso Estratégico da Arquitetura de Informação" promovido pelo Terra Forum. Fala da importância estratégica de encontrar a informação necessária na hora necessária.
Inúmeras citações de quanto dinheiro é gasto na busca pela informação correta dentro de tempo hábil. É claro que se formos pensar no fluxo de informação da Internet teremos uma idéia do quanto isso é importante. Mapear e encontrar a informação correta, confiável e em tempo hábil é como encontrar ouro. Eis porque o papel do arquiteto de informação é tão importante na grande rede.
Avaliar o propósito do site, sua missão, fluxo de informação, com flexibilidade, avaliando a usabilidade e ergonomia e estabelecer as melhores formas do usuário encontrar o que procura.
Um estudo publicado na Consumer Reports WebWatch, apresenta um estudo sobre credibilidade da web: Leap of Faith:
Using the Internet Despite the Dangers
. Neste estudo foi realizada uma pesquisa com usuários da Internet sobre quais são as razões que os fazem visitar um website. Nos resultados apresentados, 88% das pessoas responderam que a principal razão é o sigilo e segurança mantido pelos websites das informações pessoas, fornecidas por usuários. 81% das pessoas responderam que são os sites que apresentam informações confiáveis ou de fontes confiáveis e 77% das pessoas afirmaram que preferem sites fáceis de navegar e de encontrar o que procuram.
Segurança, sigilo, confiabilidade e facilidade de encontrar o que procura, eis o que os usuários que navegam na Internet procuram. Em minhas lembranças posso lembrar de inúmeras discussões que enfatizavam essas questões, que pelo visto continuam sendo muito importantes. Questões importantes não somente na web mas em qualquer serviço oferecido.
Hoje principalmente, a quantidade de informação disponível e acessível ao usuário manifesta o que Wurman chama de ansiedade de informação. O usuário tem a sensação que nunca está suficientemente informado, apesar de ler tudo que lhe cai em mãos. E assim surge a sensação de quem as leituras que faz não são suficientes, o que se torna um ciclo vicioso. A gestão do conhecimento entra neste cenário como um bote salva vidas em um oceano de informações, resgatando o que realmente é importante, ou seja, a GC permite que a informação adquira realmente seu papel estratégico e diferencial.

2 comentários:

Ricardo disse...

Minha 'ansiedade de informação' é diferente. Depois que entrei pro mundo de ler notícias em RSS, passei a ler de muitas fontes, porém em menor profundidade: nos mais de 400 feeds, há tempo apenas para ler os títulos, que se interessantes merecem a leitura do resumo, que se interessante, o click e a ida ao post, e assim vai... algo tipo: estar sabendo o que acontece, mas não saber detalhes.

Katyusha disse...

Creio que vc realiza aí uma gestão do conhecimento. Gerencia e administra as informações que lhe são importantes e no caso das informações fundamentais vc se aprofunda. Só assim para podermos dar conta de tanta informação.